TERRAS-RARAS

Terras-raras >


Com o crescimento da demanda dos metais raros e de seus óxidos de grande pureza, que são indispensáveis nas indústrias de alta tecnologia, vem aumentando exponencialmente o interesse pelas terras-raras.  

Microscopia do neodímio metálico – Divulgação IPT

As terras-raras ou elementos de terras-raras (ETR) correspondem a um total de quinze elementos químicos denominados lantanídeos. Somando-os ao ítrio e ao escândio, são totalizados dezessete elementos designados como terras-raras. Embora possuam o termo “raro” no nome, são encontradas em abundância significativa na superfície terrestre. A razão para a nomenclatura se dá pela concentração destes elementos, que se encontram muitas vezes dispersos em baixos teores nos minérios e raramente concentrados em uma jazida específica. 

Os ETRs são cada vez mais utilizados em aplicações de alta tecnologia, principalmente nas indústrias ligadas a energia, magnetismo, carros híbridos e elétricos, aerogeradores, eletrônica fina, telecomunicações, entre outras.  

A importância das terras-raras aumentou de maneira significativa na indústria principalmente por meio dos ímãs permanentes, cuja aplicação em larga escala teve início em 1960, com as ligas de samário-cobalto (Sm-Co). A partir de 1980, os ímãs de neodímio-ferro-boro (Nd2Fe14B), também chamados de ímãs de neodímio, começaram a ser utilizados em larga escala. Os ímãs de neodímio são o principal produto do LabFabITR.  

O LabFabITR tem como um de seus objetivos estimular a indústria nacional de produção de terras-raras, contribuindo para consolidar a cadeia produtiva brasileira desse segmento estratégico. Neste contexto, o Brasil é favorecido por possuir depósitos de terras-raras, tecnologia de produção e um setor mineral consolidado.